[ editar artigo]

Bicicleta sem marcha é tendência também no Brasil!

Bicicleta sem marcha é tendência também no Brasil!

Depois de tanta evolução tecnológica e do desenvolvimento de tantos itens para as bikes, agora parece que chegou a vez de voltar ao simples, com a bicicleta sem marcha. Tendência pelo mundo, o minimalismo veio para ficar e tornar a vida ainda mais simples.

Quem já conheceu ou mesmo quem já tem uma bike assim entende que nesse caso, menos é mais. As bikes são mais leves, com poucos ou nenhum acessório, perfeitas para o uso urbano. São fáceis de usar e de estacionar e ainda tem um lugar especial no coração de quem curte esse estilo, o das fixed gears.

Fixed gears é uma forma de falar das bicicletas sem marcha pelo mundo todo!

Aqui no Brasil, podemos chamar também de fixas. Não se engane achando que é só uma bicicleta sem marcha, as fixas envolvem toda uma cultura ao seu redor, e quem tem uma, geralmente tem muito orgulho dela.

Ao longo da história, é bem fácil encontrar a bike sem marcha logo nas primeiras décadas do desenvolvimento das bikes, todas eram de marcha única – ou sem marcha – e com o pinhão fixo, ou seja,  sem roda livre

Além disso, não possuíam mecanismo para variação da relação da transmissão, e não permitiam pedalar enquanto a bike estivesse se movendo. Todo o sistema de roda livre e também do câmbio e da relação de transmissão foram desenvolvidos depois.

A intenção desses sistemas sempre foi melhorar a eficiência, a velocidade e o conforto de todo mundo que usa as bikes.

Atualmente, bicicletas modernas têm marcha única, são as próprias para BMX ou Bicicross, aquele esporte famoso, praticado em pistas de terra. Outras bikes sem marcha são comuns para bikes de transporte, de carga, monociclos, bikes infantis, tipo beach ou cruiser e tem até bike para mountain bike de marcha única.

Dento da categoria das bicicletas sem marcha, temos as bicicletas sem roda livre, ou, com são bastante conhecidas, as bikes de pinhão fixo. A principal característica é não ter nenhum mecanismo de catraca, isso faz com que os pedais não parem de rotacionar, independentemente da roda. É necessário muito habilidade para andar em uma dessas.

Como são as bicicletas sem marcha?

Pra começar, em geral, elas são montadas peça a peça, muitas vezes em casa mesmo, comprando uma peça em cada lugar. São bicicletas leves e muito ágeis, além disso, não tem quase nenhuma peça que chame atenção para ser roubada, o que facilita muito a vida do ciclista na hora de estacionar por aí.

A manutenção delas é muito mais barata já que há pouco o que mexer. O conceito tendência é ser minimalista, ter o mínimo de coisas, sabe essas bikes bem sequinhas? É isso!

Em Nova Iorque as bicicletas sem marcha são muito usadas pelos bike Messenger, uma espécie de office boy, eles cortam a cidade toda em velocidades altas, levando pacotes de um lado para o outro. Como as fixed gears são muito ágeis e versáteis, são a principal escolha desse público que precisa de uma bike veloz, barata, com pouca manutenção e fácil de parar em qualquer canto.

Vantagens bicicleta sem marcha:

  • São tendência, despojadas e com aparência simples, consideradas vintage por alguns, despertam paixões.
  • Custa menos, é mais leve, mecanicamente mais confiável, com baixo custo de manutenção.
  • Com uma corrente nova e bem lubrificada, a eficiência mecânica da transmissão é de 96% a 99%. O que torna a pedalada mais leve e fácil, pois há menos perdas no sistema de transmissão.
  • A pedalada é muito mais orgânica, e por isso prazerosa pela ausência do efeito mola.
  • Dá para isolar completamente a transmissão com protetores de corrente, evitando assim problemas com a corrente que fica suja ou come roupas.

Desvantagens:

  • Foi banida de algumas competições e de outros eventos de ciclismo.
  • Tem uma faixa menor de velocidade quando comparada com outros modelos, e depende da cadência da pedalada do ciclista. Em geral, tem velocidade máxima menor em declives e velocidade mínima maior em aclives.
  • A depender da relação de transmissão utilizada, subidas podem exigir bastante esforço físico, algumas pessoas podem precisar descer e empurrar. Pedalar de pé nunca é uma boa opção, aumenta a chance de queda, provoca maior desgaste de várias peças, como o guidão, pedal, pedivela e corrente, podendo levar a bike a quebrar com mais facilidade.
  • Como o esforço é muito maior se não estiver pedalando em terreno plano, ao final do percurso, o ciclista estará muito mais cansado. Falando principalmente de quem usa a bike para trabalhar, pode ser indesejável.

Tipos de bike:

Aqui no Brasil, o mais comum é vermos essas bikes sendo usadas para transporte, por trabalhadores para ir e voltar do trabalho e principalmente por entregadores pelas cidades. Porém, há modelos para mountain bike, ciclo cross, bicicletas para estrada – ou speed e até híbridas.

  • BMX e também de Mountain Bike são utilizadas em trilhas, geralmente possuem uma relação de transmissão leve. É isso permite chegar ao topo dos morros e manobrar melhor nos obstáculos e subidas.
  • estrada tem a relação de transmissão mais alta ou pesada, perfeita para desenvolver maior velocidade.
  • transporte, usadas para deslocamentos rotineiros, como ir e vir do local de trabalho no dia a dia costumam ter uma relação de transmissão média.
  • passeio, como as beach ou cruiser, em geral são adequadas para terrenos planos, arenosos ou de terra, e de regiões litorâneas. A relação de transmissão também é média.
  • pista, usadas em competições em velódromos, são todas de marcha única e pinhão fixo. Para maior eficiência de transmissão se comparada a uma bicicleta de múltiplas marchas. Estas possuem uma relação de transmissão bastante alta.

Aqui no Brasil é bem comum encontrar pessoas que tem preconceito com as bikes sem marcha, que acham que são ineficientes ou desconfortáveis. Tem gente que acha até mesmo que são bikes para quem não tem poder aquisitivo para comprar uma outra, com marchas.

Mas, a verdade é que as bicicletas sem marcha trazem uma experiência diferente, a pedalada é muito mais orgânica, a resposta é imediata ao movimento da sua maneira de pedalar. Isso também gera prazer, só é diferente das bikes que tem várias marchas.

Para compar, na América do Norte e também por toda a Europa, grupos inteiros de ciclistas só usam a bike sem marchas, eles têm até eventos e encontros. Alguns movimentos nesses países lutam pelo simples e se recusam a aderir à indústria do consumo.

É bem comum fora do Brasil, encontrar grupos que dizem que esse estigma de achar isso ou aquilo das bikes sem marcha é só o resultado da publicidade massiva de outros tipos de bike, por parte dos fabricantes.

Verdade seja dita, cada pessoa prefere um tipo de bike! Tenho notado que aqui no Brasil, as bicicletas sem marcha e sem roda livre têm conquistado cada vez mais pessoas. Algumas empresas têm trazido soluções em mobilidade urbana usando esse tipo de bike, o que ajuda a popularizar e demonstrar vantagens.

Tem alguns modelos que eu acho simplesmente lindos, como a Bicicleta Retro Caiçara que tem linhas curvas e muito bonitas. A bike de cidade aro 28 Elops Clássica que segue linhas bem parecidas com a anterior.

A Bicymple é um modelo bem legal de bicicleta sem marcha. Os pedais ficam na roda traseira junto com a caixa de direção, lembra um tanto o monociclo só que mais bonito e fácil de pilotar por conta da roda dianteira. A estrutura toda é minimalista e bonita, perfeita para a proposta.

A Yellow, aquela empresa que loca bicicletas por São Paulo também optou por manter a tendência do minimalismo, todas as suas bicicletas são sem marcha. Então, se você mora em sampa e tem curiosidade para testar, essa é uma boa maneira.

Eu realmente adoro essas bikes, acho que são super eficientes, práticas com ótimo custo x benefício, principalmente no que diz respeito à manutenção. Além disso, chamam menos atenção para roubos do que outros modelos. Isso deixa a gente muito mais tranquilo ao deixar a bike nos bicicletários da cidade.

E você, já pedalou por aí numa bicicleta sem marcha? Como foi? A que você testou era sem roda livre?

MOB1.CLUB
André Ricardo dos Santos Prado
André Ricardo dos Santos Prado Seguir

Empresário em Guarulhos, SP e preocupado com a mobilidade urbana.

Ler matéria completa
Indicados para você