[ editar artigo]

Motores a Combustão Interna: Conheça sua História

Motores a Combustão Interna: Conheça sua História

Para que você possa ter o completo entendimento sobre o funcionamento, as características e todos os componentes que compõem o motor do seu veículo, iniciaremos com a apresentação histórica e os conceitos aplicados nos primeiros motores a combustão interna.

Foi a partir do século XVII, que o homem começa a desenvolver conceitos para construir um mecanismo para gerar força de uma maneira automática, diferente de uma tração animal ou força humana, e através desse mecanismo o pudesse levá-lo a grandes distâncias e certas velocidades maiores que as de seus próprios passos.

No século XVIII, ocorre a Revolução Industrial, período onde ocorrem as transições e introdução dos novos processos de manufatura. E foi no ano de 1860 que a idéia de construir uma máquina que utilizasse o benzeno como combustível começa a se desenvolver, e somente após seis anos, em 1866, a ideia pode ser concretizada por um alemão chamado Nikolaus August Otto.

Nikolaus August Otto (1832-1891) engenheiro e inventor alemão nascido em Holzhausen an der Haide, perto de Schlangenbad, foi quem inventou e construiu o primeiro motor de combustão interna de quatro tempos e determinou o ciclo teórico sob o qual trabalha o motor de explosão (1876), o conhecido ciclo Otto.

Aos 16 anos deixou a escola e para ir trabalhar. Trabalhou como um balconista em Frankfurt e como um vendedor ambulante vendendo açúcar, panelas e chá a supermercados na fronteira alemã com a Bélgica e a França, e cada lugar que visitava e conhecia seu interesse por mecânica foi então despertando.

Otto naquela época não teve sua ideia desenvolvida sem nenhuma base, naquele tempo os motores a vapor já eram muito bem difundido, sendo utilizados em grandes embarcações e locomotivas. Otto ainda contava com um grande contato com outros inventores e cientistas da época, que buscavam o aprimoramento deste tipo de mecanismo.

Otto então foi em busca de seu próprio invento, com base em tudo que havia visto, partir dos conceitos dos motores a vapor, e do conjunto mecânico de pedal e manivela utilizado em uma bicicleta, com a idéia de projetar um sistema que pudesse operar a partir da reação de uma mistura de ar e combustível, onde através da explosão geraria força e movimento.

Com este conceito definido, Otto começa a desenvolver o seu mecanismo, e para sua maquina térmica ele conclui que para que ela pudesse operar seguindo um ciclo composto por quatro tempo de operação. Foi a partir daí então que se foi nomeado um motor a combustão interna de ciclo de quatro tempos como motor “Ciclo Otto”.
Otto então construiu o seu primeiro protótipo de seu motor em 1867, tendo ganho a medalha de ouro da Feira de Hannover naquele ano.

Mas 19 anos após a medalha de ouro,  a patente DRP 532, a qual determina a base para os motores a 4 tempos foi então contestada e anulada quando “descobriu-se” Alphonse Beau de Rochas, um que um físico francês, já havia publicado estudos sobre um sistema a combustão por 4 tempos.

Mesmo com este fato, o que pode ser evidenciado é que Otto nunca chegou a ter contato com a publicação do físico francês.

Otto então começou sua fábrica em Köln (Colônia) na Alemanha, após estabeleceu outra fábrica na Filadélfia, EUA, sendo que os motores lá produzidos ficaram conhecidos como “Ottos Columbianos” (fabricados entre 1893 e 1915).

A empresa então fundada por Otto, a N.A. Otto & Cie., existe até hoje, porém atualmente com o nome de Deutz A.G. fabricando motores de diversos tamanhos, desde os estacionários, marítimos e automotivos.

O motor inventado por Otto demonstrou inúmeras vantagens em relação ao motor a vapor utilizado na época. Uma delas é o baixo peso, já que motores a vapor necessitavam de enormes reservatórios de água, além de combustível para ser queimado para aquecer a água, sendo nestes casos carvão ou lenha.

Além do baixo peso, o motor a combustão interna apresentava baixo consumo de combustível, mesmo este sendo o benzeno. Outro fator era a potência dos motores de combustão interna ciclo Otto o qual também superava em proporção de tamanho com o motor a vapor.

O motor de combustão interna ciclo Otto com todas essas vantagens, sendo mais leve e compacto oferecendo mais versatilidade em comparação com os motores a vapor, logo se consagrou como a força motriz que se estenderia até os dias atuais nas mais diferentes aplicações que pudesse servir com a sua força de trabalho ao homem.

Os automóveis, as embarcações, os ônibus, os caminhões, as máquinas de trabalho rural e de canteiros de obras, assim como na indústria em geral e até mesmo na aviação utilizam ainda o princípio de funcionamento, em motores de combustão interna, de 150 anos atrás.

MOB1.CLUB
Kleber Willians - CAR UP
Kleber Willians - CAR UP Seguir

Engenheiro Mecânico, atuei em oficinas mecânicas multimarcas, concessionaria , e industria automotiva em grandes projetos de desenvolvimento de produto. Apresentador do canal CAR UP Dicas Automotivas no Youtube e Radio Motor na Radio Aparecida.

Ler matéria completa
Indicados para você