Aryane Gouvea Especialista em Marketing na MOB1. Planejo ações e conteúdos que possam ajudar pessoas.

Economia Compartilhada no Transporte de Cargas

3 min | leitura

Você já aproveita todos os benefícios da economia compartilhada? Esse conceito está conquistando o mercado desde 2010 e vem revolucionando o modo como consumimos e usamos bens e serviços.

Com a economia compartilhada, as pessoas encontraram uma maneira de fazer mais com menos e aproveitar recursos físicos ao máximo.

O proprietário de um carro, por exemplo, pode usar esse conceito para transportar outros passageiros e ganhar dinheiro com o veículo.

Assim, um único bem de alto custo oferece valor a mais pessoas e por mais tempo.

Todos ganham com esse novo modelo adaptado ao momento econômico atual, inclusive o meio ambiente, que passa a sofrer menos com o impacto do hiperconsumo e colher os frutos do capitalismo consciente.

O Que é a Economia Compartilhada?

Economia compartilhada é um novo modelo econômico baseado no consumo colaborativo e atividades de compartilhamento, troca e aluguel de bens.

Sua essência está nas transações do tipo P2P, de pessoa para pessoa, e no aproveitamento de recursos ociosos com ênfase no uso, e não na posse.Essa ideia de compartilhamento surgiu da necessidade de poupar recursos naturais e financeiros, principalmente após a crise mundial de 2008.

Para que uma empresa seja classificada dentro da economia compartilhada, deve obedecer aos seguintes requisitos:

  • Core business relacionado à promoção do acesso a bens subutilizados
  • Consumidores beneficiados pelo acesso a bens e serviços
  • Negócio construído em redes descentralizadas e marketplaces.

Para Que Serve a economia compartilhada?

A economia compartilhada serve para ampliar o acesso a bens e serviços por meio de um modelo de consumo sustentável, consciente e racional.

Nesse caso, o modelo visa à otimização dos bens já produzidos, ao invés da produção e compra de um novo produto. Basicamente, a economia compartilhada gera redução de custo para quem usa e renda para quem fornece.

Por exemplo, alguém que possui um quarto vago em casa pode aproveitar esse espaço ocioso para alugar a um valor mais acessível. Assim, os negócios de compartilhamento se baseiam nos três pilares da sustentabilidade: econômico, ambiental e social. 

Isso porque suas práticas economizam dinheiro, reduzem o uso de recursos naturais e geram benefícios que são repartidos entre toda a sociedade.

Para que essa mentalidade seja colocada em prática, é necessária a aplicação dos seguintes princípios:

  • Racionalização dos recursos financeiros
  • Conscientização a respeito do valor e do acesso aos bens
  • Informações abertas e públicas para incentivar a inovação
  • Construção de laços de confiança entre fornecedores e contratantes
  • Redução do desperdício por meio do uso de bens ociosos.

Já está presente em território Nacional?

A economia compartilhada traz uma série de mudanças na sociedade como um todo, e não poderia ser diferente nas empresas. do mercado de transporte de cargas. 

Uma delas (possivelmente a maior) é o aumento dos modelos de renda e emprego através da prestação de serviços sob demanda, o que diminui o consumo e aumenta a variedade de produtos disponíveis.

Muitas empresas já adotam o escritório compartilhado, ou coworking, como forma de diminuir custos com infraestrutura física. Além de economizar, trabalhar em um coworking pode ajudar a aumentar a rede de contatos, a estar presente em mais cidades com menores custos e a impulsionar negócios.

Segundo levantamento anual divulgado pelo Coworking Brasil, já existem mais de 400 espaços de escritórios compartilhados espalhados pelo país (52% a mais que em 2015).

Economia Compartilhada no Transporte de Cargas

A economia compartilhada no transporte de cargas pode ser aplicada na contratação de autônomos sob necessidade, ao invés de manter uma frota que em baixa demanda fica ociosa e acaba gerando gastos desnecessários de manutenção.

Nesse caso, a economia compartilhada ajuda a evitar que o autônomo volte com o caminhão vazio. Quando a demanda está baixa, a empresa, por sua vez, evita gastos para manter pessoas e veículos parados no pátio. 

Economiza também por não precisar enviar caminhões da sua própria frota para entregas que não tenham carregamentos de volta,o que evitará desperdício de tempo e dinheiro.

O Papel da UPPERTRUCK na Economia Compartilhada no Transporte de Cargas

A Uppertruck dispõe de um sistema de inteligência que possibilita ao ecossistema de transportes de cargas a criação de um elo direto, sem nenhum tipo de intermediação entre o embarcador de uma carga configurado por uma indústria (empresa de material de construção civil, engenharia, distribuidor de materiais e etc) e obviamente um transportador.

O sistema que utilizamos para a criação dessa ligação é o machine learning, um método de análise de dados que automatiza a construção de modelos analíticos.

Por meio desse sistema um simples o caminhão é capaz de rodar menos para a obtenção de uma carga para complementar o seu faturamento. Também contamos sempre com transportadores autônomos.

Para que você possa entender melhor suponhamos que existe uma grande empresa que solicitou uma enorme quantidade de produtos em uma carga X. 

Porém, na mesma rota existe uma empresa menor que deseja apenas 5 quantidades desse mesmo produto.

Por meio do sistema da Uppertruck será possível que você, dono de um veículo utilitário que tem disponibilidade e espaço disponível seja encontrado e possa levar até o destino final essa carga.

Como vimos, a economia compartilhada veio para ficar, porque é mais sustentável, mais econômica e mais prática. E os negócios que estiverem atentos às oportunidades só têm a ganhar!

Será que esse é o caso da sua empresa? Comente aqui sobre a economia compartilhada!

Este artigo é um Guest Post, escrito pelo Autor Ivan Ferreira em nome da Uppertruck.

Aryane Gouvea Especialista em Marketing na MOB1. Planejo ações e conteúdos que possam ajudar pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *