[Entrevista] Priscila Tie Assahida Moreira – Indústria, inovação e transformação digital

4 min | leitura

Como a gente, você já se perguntou “Como a indústria está se preparando de maneira prática para a transformação digital?” Este é um interesse comum principalmente no setor automotivo, por isso, buscamos uma especialista em inovação, Priscila Tie Assahida Moreira, Head of the acceleration Program no Sistema Fiep.

Confira todos os insights e utilize no seu negócio!

Como a indústria está se preparando de maneira prática para a transformação digital?

A Indústria está se preparando de maneira prática para a transformação digital por diferentes formas, por exemplo:

Com investimentos em Inovação Aberta, por meio de eventos como Hackathons, uma maratona de 36 horas para resolver problemas práticos das indústrias, além de uma oportunidade para destacar novos talentos, engajar colaboradores e Ecossistema e resolver desafios.

Como eventos que participei posso citar o Digital Connection da Frísia , Programa Copel+, Programa de Aceleração da Bosch. Neles, grandes empresas lançam desafios de transformação digital e buscam startups para testar e implantar a solução. 

A indústria também está investindo em Eventos de Intra empreendedorismo e Cultura de Inovação, para engajar seus colaboradores, por meio de palestras, workshops e mostras de soluções de startups ou eventos. Neles os grupos de colaboradores podem formar times multidisciplinares para solucionar diferentes desafios da empresa.

Várias empresas buscam startups em aceleração conosco na Aceleradora do Sistema Fiep, pois sabem que elas estão prontas para negociar ou customizar sua solução. Sempre recebemos desafios das indústrias e as conectamos com startups, como um “Tinder”. 

Startups

Esta relação startup e Indústria, pode acontecer por fases. A Indústria seleciona algumas startups do nosso portfólio. Nós fazemos um evento online para os pitchs e depois partimos para a fase de teste, ou prova de conceito, custeado pela indústria.

Às vezes a relação começa desde a fase de pesquisa onde a startup inicia o desenvolvimento de um projeto em parceria com um Instituto ou Universidade e a Empresa. Então, ao longo do processo vai realizando alguns testes na empresa.

Outras investem em espaços de conexão em Indústrias, universidades ou no Senai, para que possam ter um espaço propício para realizar eventos com os alunos e fomentar o empreendedorismo e engajar talentos.

Temos um case de transformação digital de uma empresa do setor automotivo e de uma startup graduada conosco, que começou por meio de um teste. Isso a motivou a pivotar sua solução para a indústria que antes era apenas para instituições de ensino. Ele acabou sendo case de transformação digital da Indústria brasileira e que foi replicado para outras subsidiárias do mundo

A indústria automotiva ou a própria cadeia está se conectando com startups, quais as vantagens ? 

Aqui no Paraná a indústria automotiva foi uma das pioneiras em Inovação Aberta. Tivemos um caso em que iniciamos a implantação de um laboratório de inovação em uma Empresa do setor automotivo. Anos depois, acabou gerando duas startups, uma já graduada conosco, e outra em aceleração conosco.

Dentre as vantagens temos a agilidade para o desenvolvimento de novos negócios, oxigenação da cultura, entrada em novos mercados, novas perspectivas para ver problemas existentes. Além da possibilidade de falta de profissionais qualificados poder acelerar a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, e se manter competitivo no mercado.

Muitas soluções das startups reduzem custos, minimizam riscos associados a segurança do trabalho, reduzem número de afastamentos, automatizam processos e aumentam a qualidade dos processos

Isto tem relação com a transformação digital e a inovação em termos práticos?

Em termos práticos, a Gti, uma startup indtech , focada em Indústria 4.0, está produzindo um termômetro no celular  para medir a temperatura usando sensor e aplicativo em parceria com o Lactec. A Cycor, startup que foi investida pelos 4 sharks no Shark Tank, vende um exoesqueleto que ajuda pessoas paraplégicas a andarem novamente.

A Full Dna, consegue meio do mapa genético identificar pessoas que têm predisposição ao Covid-19. No setor automotivo, temos duas startups, a Motiva, que produz motos elétricas e a Eion, que produz buggys elétricos.

Quais os maiores obstáculos para inovar, atualmente, no setor industrial?

Cultura organizacional, falta de recurso e burocracia dos processos. Muitas vezes uma proposta para ser contratada pode levar até 2 anos.

Com relação a cultura organizacional, para implantar o novo, mesmo que a demanda seja patrocinada pelo executivo da Indústria, a inovação é multidisciplinar e envolve pessoas de diferentes áreas da empresa, que muitas vezes nunca trabalharam juntas ou que estão focadas em seu dia a dia em atividades do core business da empresa.

Quais as mudanças mais duradouras que 2020 deixará para o mundo dos negócios e como elas impactam a inovação? As mudanças que vieram para ficar são:

– Alinhamento Global – o Covid 19 impactou nossos sistemas de saúde, a economia. A mobilização global de cientistas, empresas e governos em busca de uma resposta ao vírus , as trocas de informações entre países , instituições, academia, governo e empresas;
– Inovação aberta em busca de respostas ao vírus, como imperativo , pois boas ideias podem vir de qualquer lugar , acelera o processo de inovação e nos permite maior troca de conhecimentos, criando experimentos, e conhecimentos (fonte: artigo To recover faster from Covid -19 , open up: Managerial Implications from na open innovation perspective   (Chesbrough, 2003; Chesbrough, 2019);
Relações 100% digitais em home office ,muitas startups e empresas viram que trabalhar em casa pode ser  mais eficaz e eficiente;
–  redução de excessos, foco no core business;
– consumo consciente , impacto social e ambiental;
– poder das comunidades locais , regionais e  globais;
– ser Digital é a regra para se manter no mercado;
– necessidade de repensar a educação de forma híbrida (presencial e digital) somado ao entertainment (educação com entretenimento).

O impacto na inovação é a aceleração da transformação digital.

Vemos monitoramento e prevenção de problemas por meio de Machine learning, Inteligência artificial, e internet das coisas, ambientes virtuais em realidade aumentada. O virtual está gerando experiências fora e dentro dos ambientes de trabalho.

Também destaco recursos voltados para a saúde, fomentar relações em redes e comunidades entre engenheiros, médicos e cientistas por meio da troca de conhecimento. Pois, uma solução de um país poderia ser aplicada em diferentes locais ao redor do mundo

Startups de mobilidade estão tornando-se cada dia mais comuns. Além do Programa Prioritário Rota 2030 para o Setor Automotivo, parceria do Senai com a EMBRAPII, quais outras fontes de fomento para startups do segmento automotivo?

Outras fontes são editais de fomento e subvenção como o TECNOVA Fundação Araucária, editais de P&D Aneel da Copel, plataforma de inovação para a Indústria, recém lançado pelo Senai Nacional, com desafios de empresas de forma contínua .

Priscila tie

Priscila Tie Assahida Moreira

LinkedIn |Head of the acceleration Program of Fiep System

Chefe do Programa de Aceleração do Sistema Fiep, Founder Institute Director, Líder Comunitário do Paraná na Inovativa Brasil e Embaixadora do Programa Conecta startup Brasil da Softex.

Como gestora operacional do programa de Aceleração de startups do Sistema Fiep, tem a missão de engajar talentos, conectar paixões e acelerar sonhos.

Quer fazer parte do time de convidados e autores do portal, tem alguma sugestão ou crítica?
Envie uma mensagem por meio dos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *