[ editar artigo]

Calibragem dos Pneus: Entenda Mais Sobre a sua Importância

Calibragem dos Pneus: Entenda Mais Sobre a sua Importância

Apesar de ser esquecida por muitos motoristas, a calibragem dos pneus é essencial para garantir a segurança e a estabilidade do veículo. Semanalmente ou, no máximo, com intervalo de tempo de 15 dias, o motorista deve ter os cuidados básicos com os pneus, inclusive com o seu estepe.

Nos postos de combustível ou mesmo em uma oficina, é fácil encontrar pontos de ar comprimido. Alguns até oferecem a calibragem com nitrogênio, considerado uma opção ainda melhor por manter a pressão por mais tempo. O valor do serviço com nitrogênio varia de R$ 2 a R$ 6 na capital baiana.

A calibragem dos pneus do carro pode ser muito mais importante do que se imagina. A maioria dos motoristas nem liga muito com as condições de uso dos pneus, deixando-os murchos.

Cada veículo possui suas próprias indicações de calibração dos pneus. Isso depende do peso distribuído em cada roda e a largura do pneu. Quanto mais largo, menor é a pressão na calibração. Tudo deve ser feito de acordo com as informações localizadas nas portas, na tampa do tanque ou no manual do carro.

Outro fator que poucas pessoas lembram é a de calibrar também o estepe. Se o pneu do carro furar, o substituto (estepe) precisará estar em pé de igualdade com os outros pneus. Em muitos casos, a calibragem incorreta pode comprometer a estabilidade e aderência do veículo ao solo, aumentando a distância de frenagem. Além disso, um veículo com pressão abaixo do ideal faz com que o pneu tenha um atrito maior com o chão, exigindo mais força do motor e comprometendo a economia do combustível.

Há uma relação de cuidados para o motorista. Um deles é não procurar um padrão na hora de calibrar os pneus.

Os modelos hatch, como o Gol, geralmente exigem de 28 a 32 libras. Os sedãs variam de 30 a 34 libras. Já os carros maiores, como as picapes e utilitários, precisam de mais pressão. Assim, a depender da carga, é indicado calibrar com 36 libras.

Mas o ideal sempre é checar a calibragem correta no manual do veículo. Em alguns modelos essa informação se encontra na parte interna da porta do motorista. Até porque lá indicará a calibragem certa caso o carro esteja mais pesado que o normal.

Calibragem com nitrogênio

A oferta do nitrogênio tem crescido. O nitrogênio é um gás não inflamável, é ar seco sem oxigênio. O ar comprimido, além de impurezas, tem umidade elevada. Por isso, na medida em que o carro anda, o pneu aquece e aumenta a pressão interna. Já o nitrogênio é frio e mantém a pressão do pneu constante em todas as temperaturas. Com isso, a borracha não se dilata. Esses elementos mantêm a calibragem por mais tempo.

O resultado é que os pneus podem sofrer menos desgaste, já que a pressão se manterá dentro dos limites.

Cuidados na hora de calibrar os pneus

Nitrogênio

Hoje, há opções do ar comprimido e do nitrogênio nos postos de combustíveis. Os modelos hatch, como o Gol, geralmente exigem de 28 a 32 libras. O nitrogênio mantém a pressão dos pneus por mais tempo. Por isso, pode ser melhor. Mas o gás é pago, custando entre R$ 2 e R$ 6.

Frequência

Os carros novos podem ser calibrados de 15 em 15 dias. Os veículos que possuem mais de 100 mil km devem calibrar os pneus semanalmente.

Estepe

É importante não esquecer de calibrar o estepe. Afinal, quando for necessário, ele deve está em bom estado para o uso.

Cuidados do Frentista

Na hora de abastecer, o frentista deve testar as válvulas para não causar o vazamento do ar.

Pneus Frios

Especialistas afirmam que é melhor a calibragem ser feita com os pneus frios, pois a pressão é menor.

Carga Máxima

A quantidade da pressão é encontrada no manual ou nas portas do carro.

Ler matéria completa
Indicados para você