[ editar artigo]

Meio Ambiente: Empresas de Olho em um Futuro Verde

Meio Ambiente: Empresas de Olho em um Futuro Verde

Por Ricardo Imperatriz, CEO da GolSat

Desde que o mundo é mundo, sempre buscamos inovações para melhorar o nosso dia-a-dia. Passamos pela revolução industrial, desenvolvemos novas formas de produção e, atualmente, criamos um império baseado nas novas tecnologias, mas como ficou o meio ambiente

Mas em algum momento neste caminho, paramos de nos preocupar com o que é a base de tudo: o mundo. Por anos, surgiram inovações e mais inovações com o único foco em aumentar o lucro e a produtividade. Sem o pensamento a longo prazo, poluímos o ar que respiramos, a água que bebemos e o solo que pisamos. Será que ainda é possível reverter isso? 

As mesmas tecnologias que podem ter prejudicado o meio-ambiente, são as que vão reverter este quadro. A energia elétrica, que por muito tempo foi produzida por meios não-renováveis, como usinas de carvão - que emitem quantidades imensas de dióxido de carbono (CO2) -, agora é produzida pelo próprio sol e pelo vento. E essa eletricidade é que vai fazer com que um dos maiores responsáveis pela poluição reduza suas emissões de carbono à zero. Os carros elétricos surgem em um cenário automotivo que finalmente entendeu que nossas fontes são finitas. Na Noruega, por exemplo, 22% dos carros são elétricos e a compra destes já é maior que a dos veículos à combustão. Uma das razões para esse avanço são os incentivos, como a redução das taxas de burocracia de registro e de importação dos elétricos. 

Qual o Impacto das Tecnologias em Nosso Dia a Dia?

No cenário brasileiro, os carros elétricos avançam timidamente. Em um estudo feito recentemente pela FGV Energia, a frota de veículos elétricos e híbridos no Brasil, em 2016, era de apenas 5,9 mil. Infraestrutura e o alto custo são duas razões pelas quais o Brasil ainda não está no patamar de países europeus e asiáticos. Embora algumas políticas queiram mudar essa realidade, como redução no IPVA e isenção do rodízio na cidade de São Paulo, a grande mudança necessária está na cultura brasileira. 

Estamos acostumados com abundância de recursos. Mesmo depois do choque que levamos com a falta de água em São Paulo e alguns apagões, pessoas e, principalmente, empresas não se entendem como responsáveis desses acontecimentos. O Programa Rota 2030, instituído pelo governo federal neste ano, surge para definir regras para a fabricação de veículos, visando melhorar a eficiência energética e os níveis de poluição dos veículos.

Isto porque o Brasil precisa reduzir drasticamente a emissão de gases poluentes, conforme tratado no Acordo de Paris. Os incentivos do programa vão beneficiar aquelas empresas que investirem em pesquisa e desenvolvimento, que a longo prazo contribuiu com todo o cenário automotivo e a vida dos brasileiros. Apesar disso, apenas 33 empresas estão habilitadas no Rota 2030 - de um total de 600. 

A construção de um futuro é responsabilidade de todos nós. A tecnologia tem que ser entendida como uma aliada na construção de um amanhã inovador, em que o meio ambiente seja prioridade. Afinal, do que adianta super smartphones, inteligência artificial se não tivermos mais um lugar para chamar de lar? 

MOB1.CLUB
Instituto PARAR
Instituto PARAR Seguir

O Instituto PARAR nasceu para elevar o nível da Gestão de Frotas no Brasil, profissionalizando o setor e as pessoas que atuam nessa área, com a cultura de segurança como principal valor. Com esse propósito, PARAR produz conteúdo através de eventos, r

Ler matéria completa
Indicados para você