[ editar artigo]

Como a mobilidade urbana afeta a saúde da população

Como a mobilidade urbana afeta a saúde da população

A evolução da sociedade nos trouxe para o ponto em que estamos hoje, muita gente e muitos carros nas ruas no mundo inteiro. Especialmente em grandes centros urbanos é bem fácil perceber o quanto o trânsito é intenso e estressante. Você já parou pra pensar em como a mobilidade urbana afeta a saúde da população?

Nem sempre nós pensamos nesse assunto, eu mesma só passei a refletir e tomei uma atitude sobre o assunto quando fui diretamente afetada. A mobilidade urbana precisa sim ser incluída nos planos de governo e melhorada constantemente, além disso, é preciso que todo mundo enxergue que ela afeta diretamente a saúde da população de modo geral.

Os carros são os principais responsáveis pela emissão de poluentes, parte do problema do aquecimento global é causado diretamente pela quantidade de veículos e seus poluentes emitidos todos os dias. É cada vez mais comum vermos carros com apenas uma pessoa, hoje, cada um quer ter o seu próprio carro, o que aumenta demais os problemas de mobilidade.

O transporte público não funciona bem na maior parte das cidades, as pessoas não se sentem seguras para andar de bicicleta ou pelas calçadas a pé, e tudo isso tem impacto direto na saúde. No meu caso, o grande problema foi o stress, eu vivia em uma grande cidade e passava mais de 3 horas por dia dentro do carro, indo e vindo do trabalho.

Eu passava muito nervoso presa no trânsito, isso se somava a dores nas costas por ficar tanto tempo sentada na mesma posição. Ficar parada no congestionamento não é simples, não dá pra relaxar, temos que nos manter atentos o tempo todo, e isso exige mais atenção do que me sentia capaz de ter.

Eu não tinha mais nem tempo, nem ânimo para fazer nada. Ia e vinha do trabalho, não ia mais à academia, não queria mais sair com os amigos, chegava em casa e nem comida eu queria fazer, pedia tudo pronto. Como consequência, comecei a engordar e minha saúde ficou ainda mais comprometida.

Quando me dei conta de tudo que estava vivendo, procurei ajuda médica e terapêutica, eu melhorei muito quando decidi que passaria a usar transporte público e a minha bicicleta. Minha vida mudou, mas sei que isso não é possível pra todas as pessoas.

Todos nós precisamos pensar na mobilidade urbana e como cada um consegue contribuir para sua melhoria, especialmente no que diz respeito à saúde de toda a população. Além disso, temos que cobrar o poder público para que façam melhorias.

Muitas doenças estão associadas aos problemas de mobilidade urbana, problemas cardiovasculares, doenças respiratórias, depressão, stress, câncer, obesidade e diabetes são alguns exemplos. A poluição é responsável por doenças do aparelho respiratório e também cardiovascular.

O ruído gera muito stress, o tempo que ficamos parados dentro do carro nos tira a oportunidade de praticar alguma atividade física, e isso pode nos levar até a obesidade. Ficar tempo demais na mesma posição causa dores no corpo, especialmente nas pernas e nas costas. Tudo isso ainda é agravado pela insegurança, pelo cansaço e pelo stress.

Como melhorar a mobilidade urbana e a saúde da população?

É preciso pensar em alternativas para melhorar a mobilidade urbana e também a saúde da população de modo geral. Pra mim, a melhoria contínua do transporte público é um dos principais fatores que traria uma melhora em curto espaço de tempo.

Aliado a melhora do transporte público, penso que todas as cidades deveriam ter mais ciclovias e boas calçadas para que fosse mais seguro andar a pé, com acesso garantido para pessoas com mobilidade reduzida. Também é necessário que tenhamos bicicletários mais seguros para deixar nossas bikes ao longo do dia.

O poder público poderia pensar em estratégias de incentivo fiscal para compra de bicicletas e patinetes, como fez com os carros algum tempo atrás. E também criar maneiras de não facilitar tanto à compra de veículos, além de fiscalizar melhor os carros mais velhos que poluem mais, inclusive criando maneiras para que as pessoas conseguissem trocar esses carros por outros que sejam menos poluentes.

Os rodízios e pedágios urbanos são métodos utilizados em algumas cidades do mundo que trouxeram resultados positivos, poderiam ser pensados e aplicados em metrópoles brasileiras. A criação de espaços de convivência e corredores verdes também ajudaria demais nos trajetos a pé e na melhoria das questões de saúde.

Comprovadamente, a arborização urbana traz benefícios para a saúde das pessoas. Além de contribuir na filtragem dos poluentes dos carros, melhora muito a temperatura das vias, torna mais agradável o percurso de quem vai a pé ou de bike de um ponto pro outro e ainda deixa as cidades muito mais bonitas.

E você, tem alguma ideia pra melhorar a mobilidade urbana e a saúde da população?

MOB1.CLUB
Mauricio Delgado
Mauricio Delgado Seguir

Sou de Guarapuava/PR e trabalho com tecnologia...

Ler matéria completa
Indicados para você