[ editar artigo]

Como o urbanismo interfere na mobilidade urbana?

Como o urbanismo interfere na mobilidade urbana?

Você já parou para pensar no urbanismo e em como as cidades são construídas e como se organizam para crescer? Vivemos em centros urbanos de tamanhos variados, independente da cidade é necessário uma organização para ser funcional. Você tem alguma ideia de como o urbanismo interfere na mobilidade urbana?

Para quem ainda não conhece, o urbanismo está presente em todas as cidades do mundo, é a maneira como se planeja, regula e controla todas as cidades. É através do urbanismo que as aglomerações humanas são racionalizadas, e é ele que permite criar condições de vida adequada para toda a população.

Ou seja, no planejamento de todas as cidades, mesmo as que cresceram de forma desordenada em algum momento da história, o urbanismo está presente. O deslocamento é fundamental na vida de todo mundo, então, podemos afirmar que o urbanismo interfere na mobilidade urbana.

Vamos pensar em termos práticos, as cidades precisam definir por onde passarão as linhas de ônibus ou metrô, quais regiões podem comportar novos bairros, onde é necessário construir escolas ou hospitais. Todas as questões da cidade precisam ser planejadas e é o urbanismo que ajuda a definir tudo isso.

No nosso dia a dia, como o urbanismo interfere na mobilidade urbana?

Cada vez que precisamos pegar um ônibus, estamos sendo diretamente afetados pela mobilidade urbana e também pelo urbanismo, Alguém precisou pensar e definir qual o trajeto daquela linha de ônibus, porque ela passa em cada uma daquelas ruas, o tempo que leva e a distância que percorre do ponto inicial até o ponto final.

Também foi pensado qual ou quais bairros ela atende e porque aquele é o melhor percurso. Outro ponto que afeta diretamente nossa vida é a construção de escolas, postos de saúde e hospitais.

O plano diretor de cada cidade é pensado para que todas as regiões sejam atendidas, então, é sempre legal lembrar que as regiões da cidade recebem mais ou menos investimento mediante a quantidade de pessoas e suas necessidades.

A segurança pública é outro fator que é contemplado pelo urbanismo e pela mobilidade urbana. A cidade tem os dados de deslocamentos das pessoas, sabe onde acontecem mais e menos acidentes de trânsito e assaltos, e isso é uma maneira importante de organizar os efetivos policiais, por exemplo.

A construção de uma ciclovia ou um parque também passa pelo urbanismo e como ele interfere na mobilidade urbana. São dados de uso da cidade que sugerem para o prefeito e toda sua equipe onde existem determinadas necessidades e pessoas dispostas a usar determinadas melhorias.

Por exemplo, a ampliação de uma rua ou até mesmo de uma rodovia é uma melhoria da mobilidade urbana que nos afeta diretamente. A instalação de radares, lombadas, proibição ou não de áreas de estacionamento nas ruas, parquímetro, ciclovias, faixas de pedestre e tudo mais que altera a nossa maneira de transitar pela cidade estão afetando a mobilidade urbana.

Você já notou que as regiões com mais lojas e até mesmo shopping center tendem a ter acessos facilitados? Em algumas cidades, na região que aglomera muitas lojas não é possível circular de carro ou de caminhão em determinadas ruas ou horários? Isso acontece sempre com o intuito de melhorar a mobilidade urbana.

Até as árvores das calçadas e parques são pensadas pelo urbanismo e como afetam a mobilidade urbana das pessoas que vivem naquele bairro ou passam por aquela rua. É necessário atender uma séria de demandas das pessoas para que as cidades cresçam da maneira mais ordenada possível.

Já conhecia o urbanismo e a mobilidade urbana? Conta pra gente como isso é aí na sua cidade!

MOB1.CLUB
Thais Brandão
Thais Brandão Seguir

Moro no interior de São Paulo com meu marido, sou apaixonada por urbanismo e mobilidade, adoro caminhadas e trilhas de final e semana. O carro é algo necessário em minha rotina e adoro receber dicas de como economizar e cuidar melhor dele.

Ler matéria completa
Indicados para você